Senso de Dono: Como Despertar o Engajamento no seu Time?



Senso de dono, ou o que chamamos de vestir a camisa, é a galinha dos ovos de ouro perseguida por todo dono de negócio que quer ver sua empresa crescer. Afinal, ter um time de profissionais engajados, que focam no crescimento do negócio, é um passo fundamental para chegar a resultados extraordinários.


Nesse artigo quero falar sobre um aspecto fundamental para o desenvolvimento do senso de dono nas empresas: a comunicação. Penso nisso, pois muitas vezes confundimos a construção de senso de dono com uma porção de regras e políticas engessadas, que mais desconstroem os colaboradores do que os direcionam para o engajamento genuíno, de sentir-se responsável e parte da empresa.


O fato é que a transparência na comunicação é fundamental para o desenvolvimento da cultura de senso de dono nas empresas. E sabe por que? Porque um ambiente colaborativo onde os profissionais ficam “no escuro” é um ambiente fadado ao fracasso e descompromisso.


A gestão de senso de dono que trabalha a comunicação diária, com abertura para exposição de ideias e opiniões, permite que os colaboradores percebam que são ouvidos e participativos nas etapas de desenvolvimento da empresa. Isso faz com que atuem mais em busca de resultados.


A introdução de uma prática comunicativa sólida não é capaz apenas de integrar e motivar profissionais, como também de conectá-los aos valores que compõem sua empresa, o jeito de ser e fazer dela.


Afinal, a comunicação é primordial para alinhar equipes, ter maior sincronia entre colaboradores, e melhor entendimento sobre as práticas e filosofias adotadas pela organização.


Eu costumo elencar 5 práticas comunicativas que os gestores devem se atentar no dia a dia da empresa para, de fato, consolidar a cultura de senso de dono em seus funcionários:


1 - Compreender qual é o perfil do seu receptor: a relevância de comunicar não está apenas na emissão da mensagem, mas também em fazê-la de maneira que seja muito bem compreendida. Para isso, é necessário que se comprometa em conhecer bem os seus colaboradores, bem como os interesses e o que ele espera da sua empresa. Com isso, será cada vez mais fácil alinhar uma linguagem adequada, capaz de cativá-los de forma natural.


2 - Buscar sempre a clareza: todo processo de comunicação pode ser visto como uma oportunidade de transmitir a imagem da empresa e reforçar a sua imagem perante o grupo. Portanto, é preciso estar atento à clareza e fluidez do que se diz, prezando sempre pela objetividade da intenção da mensagem e fazendo bom uso das palavras para que não haja margem para interpretações equivocadas.


3 - Acompanhar sempre: as avaliações de como os colaboradores estão comentando e reagindo sobre as práticas e processos de engajamento é muito importante. Quanto mais você for conhecedor dos resultados, mais terá tempo para se posicionar em tempo hábil e assertivo, principalmente nos momentos de tensão e polêmica.


4 - Resolver com agilidade: se mistura muito com o que foi dito no item acima, e reforça a necessidade de criar mecanismos de eficiência e agilidade na forma e tempo da comunicação. Isso inclui se posicionar perante crises internas, na integração de equipes, no esclarecimento de dúvidas, na resolução de problemas e outros.


5 - Investir no aumento de impacto da mensagem: a comunicação é fundamental para passar a mensagem, por isso é sempre importante contar com outras pessoas capazes de fazer sua mensagem ser ouvida com maior clareza. Isso cria atalhos para que seu grupo conheça bem onde está, por que e onde quer chegar.


Ao utilizar a comunicação como um incentivador da cultura de senso de dono, você irá construir uma capacidade de clareza de pensamento em sua empresa, onde gestores e estagiários irão compartilhar simultaneamente a mesma visão e valores da empresa.


Com isso, ficará muito mais claro entender quem é mais pró-ativo (que propõe ideias e antecipa soluções), quem consegue se orientar por resultados (para a empresa e em seu próprio benefício), quem é capaz de ser flexível (que ouve e discute ideias para investir em novas abordagens), quem é colaborativo (fiel e bom ouvinte), e engajado (que nunca se esquiva de um problema por não considerar “problema dele”).



Essa clareza de comunicação é o que irá garantir que a cultura de senso de dono floresça no seu ambiente de negócio, capacitando as lideranças e mobilizando os demais profissionais na busca por resultados cada vez mais expressivos.

417 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo