Integração entre Gerações: Um Ativo Poderoso!



Não é segredo que o bem mais precioso das empresas são as pessoas! E é a partir da relação entre essas pessoas que os negócios andam... se desenvolvem e alcançam o sucesso ou encaram o fracasso daquele sonho.


Nesse campo, existe um item que muitos empresários costumam não se atentar: a integração entre gerações.


Sim, a questão é que muitas vezes quando se fala em engajamento, o tema da integração perde potência, dando lugar às mais variadas ações de motivação sem levar em conta as diferentes visões de mundo dentro daquele ambiente, seja sua empresa pequena ou grande.


Isso acaba promovendo um certo distanciamento… como um passo atrás, uma desconfiança com o propósito e intenções futuras da empresa.


O “X” da questão é que promover uma harmoniosa convivência entre pessoas de valores, vivências e culturas distintas requer uma capacidade de comunicação e atuação um pouco escassa no mercado.


Administrar conflitos de gerações, seja no trabalho ou na vida, não é fácil! Para isso, é preciso entender os perfis de cada geração. Vejamos:


1 - Geração X: de pessoas nascidas entre 1965 e 1980. São pessoas que acompanharam toda a mudança tecnológica, política e econômica. Buscam o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, respeitando hierarquia, trabalhando com entusiasmo e necessidade de vencer desafios. Trabalham bem em grupo, mas gostam de manter individualidades.


2 - Geração Y: de pessoas nascidas entre 1980 e 1995. São mais ousados e otimistas em relação ao futuro, lutando por causas que tenham como objetivo construir um mundo melhor. São impacientes, desejam que haja avanço rápido, vendo mais valor na competência do que na hierarquia.


No ambiente de trabalho buscam por flexibilidade, pois veem como algo saudável e equilibrado. Querem crescimento rápido na carreira e uma liderança coerente, onde o gestor tenha o papel de inspirar e nortear a direção, porém, sem que haja autoritarismo.


3 - Geração Z: de pessoas nascidas entre 1995 e 2010. São pessoas que estão ingressando no mercado de trabalho. São nativos digitais, que já nasceram utilizando a tecnologia e a internet todos os dias. São exigentes, críticos e gostam de flexibilidade no ambiente de trabalho. Não são muito respeitosos com a hierarquia, buscando emprego sempre com um propósito.


Mas como integrar essas diferentes gerações?


Para conseguir extrair o melhor de todas as gerações, é preciso transformar ambientes e promover práticas que estimulem a integração.


Os trabalhos e atividades em grupo, por exemplo, são grandes ferramentas de conciliação entre pessoas de diferentes gerações, pois o objetivo final daquela atividade exige união para seu sucesso.


Nas empresas em específico, sejam elas pequenas ou grandes, a capacitação de lideranças que saibam atuar em diferentes círculos é fundamental para incentivar a troca de valores e conhecimentos entre gerações.


Não se trata de ter um gestor de atividades, ou algo forçado e metódico, mas alguém com um perfil mais conciliador e de guia, capaz de criar pontes onde naturalmente há distanciamento.


A rotina de feedbacks também ajuda na solução de conflitos antes que se tornem situações irreparáveis, tornando cada desafio como aprendizado de evolução para cada geração.


A união de perfis complementares também é uma excelente ferramenta para equilibrar a relação entre gerações. Por exemplo: a união de um colaborador mais ansioso e imediatista no desenvolvimento de um projeto com outro que seja mais metódico e paciente é a promoção perfeita da troca de conhecimento entre ambos, que pode resultar em projetos melhores e mais assertivos.


O ganho final no convívio entre gerações em um mesmo ambiente é que, ao atingir o equilíbrio na relação, sua empresa vai conquistar um ativo fundamental para estar atento e preparado no mercado: diferentes olhares e ideias sobre um mesmo projeto/processo/problema.

107 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo