Equipe Competente: Como Construir um Time Protagonista?



O mercado atual tem se mostrado bastante competitivo, e por isso uma palavra tem ganhado destaque cada vez mais no mundo corporativo: a produtividade.


Todo dono de negócio deve saber que é impossível atingir uma alta produtividade apenas com investimento em equipamentos e infraestrutura, porque no meio desse caminho existe um fator determinante para o sucesso ou fracasso dessa investida: o engajamento do seu time ao propósito da sua empresa.


Para ter resultados satisfatórios a um custo mais baixo, em menos tempo e com mais qualidade é preciso não só ter as ferramentas técnicas pra isso acontecer, mas também construir um time protagonista, capaz de absorver essa demanda e estar apto para esse desafio.


E para ter um time protagonista é preciso entender o seu próprio negócio e qual é o engajamento necessário para que ele prospere.


Eu sempre digo que existem três tipos de pessoas na empresa:


1- Os engajados:


São aquelas pessoas que se conectam com o negócio, que amam trabalhar ali, conversar, crescer junto… Essas normalmente são as que estão à frente de projetos inovadores, que produzem mudanças quando algo não está andando correto, que pegam pra fazer mesmo! Que aceitam desafios...


Quando as coisas não estão tão bem, são elas que sentem profundamente o problema e encaram aquilo como uma questão de honra. Que pensam:


- Tamo junto, vamos virar esse jogo...


Quando as coisas vão bem, são elas que comemoram e sentem orgulho do que fazem.


2- Os indiferentes:


Esses são aqueles que não necessariamente são contra você ou a sua empresa, mas que vão trabalhar, executam e vão embora quando o horário bate. São pessoas que não demonstram amor pela empresa, pelos objetivos. Podem até ser belos soldados, pois executam tudo que se pede a eles.


Mas se a empresa estiver mal... nossa, são os primeiros a pegar o currículo e mandar para outra proposta de emprego.


3- E os desengajados:


Esses são os que fazem o negócio ruir. São aquelas pessoas que estão constantemente insatisfeitas, seja com a própria vida como com a empresa.


Normalmente são pessoas que não falam que não gostam da empresa, mas boicotam tudo que a empresa tenta fazer.


O pior, são pessoas que não saem da empresa, eles ocupam o lugar e o tempo deles para sabotar o crescimento do negócio. E é esse tipo de pessoa que você deve se libertar para fazer o seu próprio negócio crescer.


Mas como isso é possível?


Você precisa olhar para dentro, para o seu jeito de pensar a empresa, os negócios, os colaboradores... pois uma coisa é certa: quando a liderança não muda, nada muda!


Ao iniciar esse processo de transformação, sua empresa passará por mudanças no jeito de fazer as coisas, e se esse alinhamento for bem feito, as equipes estarão cada dia mais conectadas com a missão, valores, práticas e cultura do seu negócio.


Isso não só colocará pressão nos colaboradores desengajados e nos indiferentes, como fará com que você crie uma nova estrutura de contratação, que atraia mais colaboradores com o perfil do seu negócio.


Isso eu chamo de construção de uma empresa protagonista.


E por que protagonista?


Porque você será conhecedor das suas demandas e dos atributos necessários para construir um capital humano excepcional.


E por que me preocupar com isso?


Porque sem um time realmente protagonista e engajado com os resultados da organização, a empresa fica patinando em um patamar em que não consegue aumentar a produção de acordo com a demanda do mercado.


Porque o colaborador protagonista cria uma ligação afetiva com a empresa, o que o leva a empregar um alto índice de energia na execução das tarefas, sempre com entusiasmo, comprometimento e resiliência.


Porque o colaborador protagonista se sente realizado no exercício de suas atividades. Pois suas atribuições são compatíveis com sua visão de propósito pessoal e, por isso, estão em lugar especial em sua vida.


Porque, quanto mais gente protagonista você tiver, melhor você é.


Pense nisso.

Posts recentes

Ver tudo