Como Gerar Conexão com sua Equipe?



Liderar pessoas não é uma das tarefas mais simples do mundo, pois isso implica em conduzir um grupo de pessoas para a geração de resultados, mas para que isso seja realmente duradouro, tem de haver sinergia, conexão com a equipe. E é aí que o calo aperta.


O bom líder, além das habilidades técnicas para gerir seu capital humano, deve também ter a capacidade de fazer com que as pessoas trabalhem para um objetivo coletivo, alinhados com os interesses da empresa, ao mesmo tempo que consiga atender as expectativas pessoas e profissionais de cada membro envolvido naquele processo… o que não é fácil.


O grande problema, por vezes, está ligado ao entendimento da liderança. Muitos donos de negócios ficam com receio de criar laços com seus comandados, seja por uma possível traição futura ou por simplesmente acharem que não tem de haver uma conexão entre chefia e funcionários.


Nesse prisma, muitos confundem liderar com gerenciar, porém, o gerenciamento envolve apenas o controle, a administração e planejamento das atividades que envolvem seu pessoal.


Por outro lado, liderar as pessoas envolve outros aspectos mais complexos como inspirar, incentivar, guiar e tirar o melhor das pessoas ao criar confiança. Quando as pessoas percebem que de fato fazem a diferença em uma equipe, seu trabalho ganha um novo sentido e a aptidão para o sucesso se torna natural.


Para criar essa conexão, não é preciso grandes transformações… mas pequenas mudanças que exigem esforço, dedicação e persistência. Eu costumo dividi-la em 7 passos:


1 - Crie laços com as pessoas: um bom líder é interessado e dedica parte de seu tempo no conhecimento de pessoas, não só com sua equipe, como também com colegas, clientes e parceiros. São as chamadas ligações inteligentes, que basicamente significa conhecer a motivação, medos, anseios e sonhos de outras pessoas sem necessariamente gostar delas para se importar;


2 - Esteja acessível e disponível: a liderança, além de delegar tarefas, também deve participar e estar atento às dificuldades de sua equipe. Pode parecer óbvio, mas muitas vezes os líderes esquecem de criar um canal de comunicação eficaz com seus liderados, consequentemente criando um muro invisível de inacessibilidade e não participação;


3 - Preocupe-se com a criação e desenvolvimento de talentos: o verdadeiro líder tem a consciência que todos possuem a capacidade de aprender e se desenvolver, cada um à sua maneira e dentro de seu potencial. É o líder, portanto, o responsável pela priorização do desenvolvimento e aprendizagem de seus talentos, pois é isso que gerará resultados e união a organização;


4 - Dê feedback sobre o desempenho: a comunicação é primordial na gestão de pessoas. O feedback, nesses termos, se torna essencial para uma boa liderança organizacional.


O medo de ferir sentimentos ou exaltar qualidades pode frear a prática desse método, porém, quanto mais profunda (não confunda com pessoal) a capacidade de comunicação na equipe, maior o nível de desempenho e evolução da sua equipe;


5 - Reconheça e considere as emoções de sua equipe: sabemos que um diferencial para um bom profissional é sua inteligência emocional, mas poucos são aqueles que de fato apresentam uma estabilidade emocional eficiente.


Ao simplesmente se conscientizar destas emoções e demonstrar verdadeiro interesse nas experiências de seus colaboradores, é possível identificar e traçar perfis, assim como analisar com mais propriedade quais os erros cometidos, quais atitudes podem estar atrapalhando o desempenho da equipe, assim como quais caminhos seguir para extrair o máximo de um colaborador;


6 - Administre conflitos com racionalidade: uma boa liderança administra conflitos com sabedoria, sem excessos, destemperos e precipitações. Todo conflito deve ser gerido com conversas apropriadas, com estratégia e esclarecimento de dúvidas, expondo críticas de forma reservada, justificando motivos e oferecendo soluções de melhorias em conjunto;


7 - Motive: é preciso motivar, não só financeiramente. É importante destacarmos que bônus e gratificações podem ser entendidas como recompensas, não necessariamente motivação. Por isso, é preciso inspirar, desafiar, buscar pelo novo. Só assim é possível criar uma conexão realmente genuína, capaz de elevar o propósito do seu negócio, não só para a geração de lucro, mas também para marcar história e se estabelecer como um modelo de negócio em seu próprio nicho.


301 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo