Como Encontrar Lideranças na sua Empresa?



Melhorar a gestão de pessoas é uma tarefa que toda empresa que deseja obter resultados extraordinários deve estar fazendo. Entre uma das mais efetivas soluções pra isso, estão as famosas dinâmicas sobre liderança.


O foco dessas dinâmicas está no trabalho de encontrar perfis capazes de levar sua empresa para outro patamar, no desenvolvimento de novas reflexões, de novas habilidades e competências comportamentais, técnicas e emocionais, mas principalmente na identificação de pessoas que possuem a capacidade de aumentar o engajamento e motivação de equipes, bem como na ampliação da sua própria capacidade em lidar e vencer os desafios diários.

Na prática, significa dizer que as empresas devem traçar estratégias efetivas para auxiliar suas lideranças a crescer e evoluir de forma contínua. Com isso, busca-se trazer novos insights sobre gestão, desempenho de equipe, nível de comprometimento, maturidade e produtividade dos grupos como um todo.

As dinâmicas são muito utilizadas como uma estratégia de gestão, pois, além de bastante efetivas em termos de desenvolvimento humano, sua realização geralmente não exige um nível alto de investimento.


Mas porque é importante desenvolver lideranças em sua empresa?

Os líderes são profissionais que irão representar sua empresa junto às equipes. São deles o papel de te ajudar a disseminar as diretrizes, visão, valores e missão da organização.

Para que possam responder a tudo isso com rapidez e inteligência, é preciso que essas lideranças estejam preparadas técnica e emocionalmente para lidar com as consequências da responsabilidade de ser um gestor, desde pressões e desafios rotineiros, na conciliação de diferentes interesses, na promoção de desenvolvimento de seus profissionais ou no oferecimento de ideias e soluções assertivas que potencializam resultados.

Nessa ideia, as dinâmicas auxiliam o próprio processo de amadurecimento profissional de sua própria equipe, de modo a encontrar quais são seus pontos de destaque para potencializar habilidades para gerir processos e equipes, e quais os gaps e pontos enfraquecidos que precisam de evolução.

A verdade é que líderes despreparados não conseguem atrair, manter e reter bons profissionais em suas equipes, pois não inspiram e cativam colaboradores para que o nível de confiança e admiração sejam suficientes para que estes permaneçam focados em ideias, projetos e decisões.


Dentre as técnicas mais utilizadas no trabalho de identificação de perfis de colaboradores, estão:

1 - Dinâmica de autofeedback: o objetivo aqui é convidar os diferentes perfis de funcionários a realizarem uma autoavaliação sobre seus pontos fortes e os que precisam de melhorias, assim como os diferenciais de sua atuação, quais elementos de inteligência emocional que apresentam, sua comunicação, relacionamento interpessoal e tomada de decisão.

Todos os participantes devem receber caneta e papel em branco e refletirem sobre os questionamentos acima (que devem ser simplificados em questões objetivas). A partir das respostas, todos os convidados devem reler suas respostas e refletir o que pode e deve ser melhorado ou potencializado em seu desempenho individual e coletivo. O ideal é que isso seja feito de forma compartilhada, que todos possam participar, mas não há problema caso alguns não se sintam à vontade para tal.

A ideia é que essa dinâmica forneça elementos suficientes para que os colaboradores aproximem seus trabalhos, desafios e obstáculos e se ajudem a encontrar soluções para as lacunas por eles apresentadas, naturalmente incentivando o aparecimento de perfis capazes de mediar toda essa situação.

2 - Dinâmica do caos: após reunir todos os perfis candidatos em uma sala, o mediador deve pedir para que todos saiam e, em seguida, deve causar uma verdadeira desordem no ambiente: espalhando papéis, revistas, alterando a disposição dos móveis, derrubando objetos, enfim, mudando completamente a cara original que o espaço apresentava.

Após bagunçar o ambiente, o mediador deve pedir o retorno dos participantes e, quando perguntarem o que aconteceu, deve responder que naquela situação é cego, surdo e mudo, que nada pode dizer, mas que todos os participantes podem fazer o que quiserem naquela sala.

O objetivo é avaliar a atitude de todos, identificando quais tomam a iniciativa de organizar o ambiente novamente, aqueles que tentam organizar equipes para que o trabalho seja mais produtivo e aqueles que optam pela procrastinação. Com isso, é possível traçar e conhecer melhor o perfil de seus funcionários e a forma que solucionam conflitos e problemas, mesmo que de forma forçada.

3 - Dinâmica do nó humano: para essa atividade é preciso pelo menos 10 participantes e um mediador. É feito um círculo e pedido que todos os participantes deem as mãos, decorando quem está à sua direita e à esquerda. Em seguida, os participantes devem soltar as mãos, fechar os olhos e caminhar pela sala por alguns segundos até que o mediador os mande parar.

Ao abrir os olhos novamente, cada um deve localizar quem são as pessoas que estavam ao seu lado e, sem sair do lugar, tentar dar as mãos novamente. O resultado será um nó humano.

A ideia dessa atividade é compreender tipos de perfis, sua maneira de comunicação, afetividade e criatividade, reforçando a convicção de que os problemas vivenciados no ambiente de trabalho devem ser resolvidos com a cooperação de todos, sempre de forma coletiva e criativa.

A atividade costuma revelar a liderança de alguns sobressaindo sobre outros, aspectos negativos e positivos de comunicação, capacidade de empatia e afetividade, de memória, organização e coletivismo. É uma ótima ferramenta de análise.

Gostou desses tipos de dinâmicas de liderança? Me segue lá no instagram @carla_weisz e no YouTube Carla Weisz para acompanhar mais conteúdos como esse. Beijos e até a próxima.

327 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo