© 2019 por CarlaWeisz Consultoria

Buscar

Casa de ferreiro, espeto de ferro: protagonismo e transformação acompanham Carla Weisz

Atualizado: 3 de Mai de 2019


A protagonista Carla Weisz é dona de sua história e vive o que ensina aos outros: como obter bons resultados e ter alta performance com protagonismo e accountability. Transformações não faltam em sua trajetória.


Hoje, ela elege março um mês de grandes comemorações. Não só pelo Dia Internacional da Mulher, mas também porque foi em março de 2015 que deixou sua carreira executiva em recursos humanos para seguir voo solo. Foi um momento redefinidor de carreira e de vida.


Por isso, ela festeja neste mês não só a coragem e a determinação que são a sua marca, mas, principalmente, por tantas vidas que em tão pouco tempo foram impactadas positivamente pelo seu trabalho. Por ter despertado transformações em homens e mulheres e apoiado organizações na execução de processos de mudança de cultura e no desenvolvimento de líderes e equipes. Um trabalho que trouxe resultados não só financeiros, mas de qualidade e satisfação de funcionários.


Ela sempre se sentiu diferente. Nasceu questionadora. Ao mesmo tempo em que brincava de panelinha, aos 12 anos, participava das eleições para prefeita mirim em São José dos Campos, sua cidade natal, no interior paulista, numa iniciativa da administração local. Acabou escolhida pelos vereadores como a melhor para o cargo. Já naquela época, ela defendia a educação de qualidade, uma merenda melhor e área de lazer nas escolas públicas, o que veio a se tornar a sua causa. Foi a primeira manifestação pública de Carla Weisz como protagonista, o que ela intuitivamente, sem se dar conta, já fazia.


E assim começou a jornada dessa empreendedora, empresária, treinadora de líderes e escritora que construiu a sua história estimulando mulheres e homens a assumirem o comando de suas trajetórias, a buscarem as suas melhores versões.


Atualmente no comando da sua empresa de consultoria, palestras e treinamentos, com ações presenciais e cursos online (oferecidos pelo Mundo-e, o braço virtual do negócio), ela tem bons motivos para ter orgulho de si neste março de 2019. Inspirada pelo mês da mulher, Carla reafirma o seu sonho de contribuir para fazer do Brasil um país melhor com educação de qualidade, para que cada brasileiro tenha, nas suas palavras, “uma vida nivelada por cima”. Um caminho no qual a marca Carla Weisz será sempre reconhecida pela sua capacidade de liderar mudanças que transformem positivamente a história das pessoas, das organizações, da sociedade.


E de transformação, a sua especialidade, ela entende. Estamos falando aqui mais precisamente de mudanças que entram na nossa vida quando aprendemos assumir a responsabilidade pela nossa trajetória, exatamente como fez a nossa empreendedora. Vindo morar na capital paulista ainda aos 19 anos, com uma mala de roupa e dois pares de sapatos, Carla começou com um trabalho de uma noite apenas como babysitter de duas crianças. Apenas com o dinheiro dessa noite de trabalho no bolso, foi fazer ficha em uma agência de promoção e começou sua carreira fazendo promoção de iogurte num supermercado. No entanto, logo ficou sabendo da possibilidade de ser demonstradora, mas, dessa vez, com emprego fixo, com carteira assinada.


Trabalhava de noite e, durante o dia, ia para a agência trabalhar sem ganhar nada a mais, apenas, em suas palavras, “a oportunidade de aprender”. “Queria mais para a minha vida: fazia café, tirava xerox, ou seja, queria me desenvolver” diz Carla Weisz.


Carla Weisz e o marketing


O trabalho na agência, despertou a vontade de fazer faculdade de Marketing. Mais adiante, ela participou de uma seleção para estágio na área, mas acabou convencendo o executivo que seria seu chefe a contratá-la como assistente. O argumento usado? “Como estagiária, eu não consigo pagar as minhas contas”, disse ela na época. “Mas, se você me contratar como assistente, garanto que serei a melhor funcionária que você já teve”.


E assim foi feito. Dali por diante, Carla construiu uma carreira bem sucedida de mais de 20 anos em empresas como ABN Real, Santander, Bunge e Metrô de São Paulo, onde foi responsável por importantes transformações e conquistou prêmios nacionais e internacionais, liderando mudanças, transformando culturas e criando projetos que até hoje podem ser considerados de vanguarda, em função da sua visão de futuro alinhada à atitude.


Nesse tempo, superou os mais variados desafios. Foi da área de marketing para a de recursos humanos, chegando a assumir o cargo de diretora de RH. Experiências que lhe serviram de base para seguir em voo solo e trabalhar com seu propósito, que é desenvolver as pessoas para assumirem um papel ativo na condução de suas vidas e resultados.


A decisão de investir na própria marca veio em março de 2015, seu segundo momento redefinidor de carreira. O primeiro foi justamente aquele contado linhas atrás: a escolha de ir do marketing para o RH. O mês de luta internacional pelos direitos das mulheres, aliás, é especial para a empreendedora. Por coincidência, é sempre depois de fevereiro que a vida de Carla vê guinadas acontecerem, ela mostra a partir de suas experiências que reviravoltas fazem parte do jogo e que a mudança é uma das poucas certezas da vida. E que somos todos capazes de crescer com elas, basta saber usar todas as experiências, boas e ruins, a favor do nosso crescimento e desenvolvimento.


Foi o que ela desenvolveu em sua empresa: métodos e ferramentas para tal, para o despertar dessa consciência, com modos de agir para obter resultados. É o que ensina Carla Weisz em suas palestras e treinamentos. Até mesmo nas conversas informais que tem aonde quer que vá, o protagonismo corre em suas veias.


“Muitos perrengues me acompanharam, mas nenhum deles conseguiu tirar o amor do meu coração. Ao contrário, cada dificuldade, especialmente como mulher, me desafiou a querer me desenvolver e apoiar outras pessoas”, diz. “De menina do interior a executiva de grandes empresas, tive uma jornada de muita curiosidade em aprender, desaprender, reaprender e me reinventar”.


Ela também deu aula no MBA Executivo da FGV e na Poli/USP. Ainda tem MBA em Gestão de Negócios e inúmeros cursos de temas variados, a curiosidade é uma de suas marcas. “Adoro estudar e ler, sou uma devoradora de livros, vídeos, artigos”, diz. “Entro numa livraria e compro quatro de uma vez, são a minha paixão. Mesmo quando não tinha dinheiro, o pouco que ganhava investia no meu desenvolvimento”.


O Dono da História


Decisão de abrir a própria empresa tomada, o passo seguinte seria realizar o sonho de publicar um livro. O Dono da História (Editora Évora) foi lançado em setembro de 2015 e até hoje inspira inúmeros leitores de todo o país. Trata-se de uma história sobre protagonismo, liderança, empreendedorismo. Um romance que prende o leitor da primeira à última página pela força da trama. E pelo uso do formato de storytelling para abordar esses temas a partir do relato de um garçom.


Não foi o seu único livro. Carla é umas das coautoras do Segredos do Sucesso Volume III - Da teoria ao topo: histórias de executivos de ALTA GESTÃO (Editora Leader), com reflexões de empresários e executivos de várias áreas sobre o tema. Em 2017, foi uma das empresárias escolhidas em reconhecimento à trajetória de trabalho e à liderança para receber o Prêmio Alta Gestão naquele ano. Uma honraria promovida pelo Grupo Alta Gestão S/A com o apoio da FGV-IBRE, Febraban, Infi e FCCE, entre outras instituições.


Após a publicação de O Dono da História, Carla com muita frequência passou a receber elogios de homens e mulheres em seus treinamentos, consultorias ou redes sociais. Todos impactados por aquela ficção. E guarda com carinho esses retornos. “Certa vez, num trabalho voluntário no bairro Cidade Ademar, na zona sul da capital paulista, uma mulher veio me agradecer dizendo que nunca acreditou ser possível fazer alguma coisa para mudar a própria vida, mas que, graças à minha história, tinha deixado de lado essa crença”, lembra. “Também nunca me esqueci de uma professora que foi até a Feira do Empreendedor, evento do Sebrae em São Paulo, onde dei palestra, somente para pedir um autógrafo”, conta Carla.


Para Carla, manifestações como essas são seus “potes de ouro”. E a principal razão pela qual ela nunca desistiu de seu caminho, do seu propósito. Um trajeto onde não faltaram obstáculos para a nossa protagonista. Em seu primeiro ano seguindo carreira solo, diante da maior crise que envolveu o mercado e ao fato de que toda mudança do tipo envolve um tempo de maturação, as contas ficaram muito apertadas. Todo esse cenário se agravou ainda mais diante da descoberta da leucemia de seu marido, Johnny, que na época tinha perdido o emprego: a empresa no qual trabalhava tinha fechado. Carla lembra como não foi nada fácil segurar o orçamento da casa e os gastos com as duas filhas do casal, Luisa e Anna Helena.


Nossa protagonista, porém, continuou firme. E, em março de 2016 (novamente o mês da virada), ela recusou uma proposta para voltar ao mercado, onde seria diretora de recursos humanos de uma grande empresa. “Estava confusa com tanta dificuldade, dor e medo. Foi aí que conversei com dois amigos antes de tomar uma decisão”, lembra. “Um deles, que considero um mentor, me disse que, se o que eu estava fazendo na ocasião era o que eu gostaria de fazer em cinco anos, que começasse logo, que eu “comesse o carro”, ou seja, vendesse o que pudesse, mas não abrisse mão do meu propósito”.


Quimioterapia e um sonho


Foi exatamente o que ela fez. Um ato de coragem do qual ela não se arrepende. E que, de certa forma, também ajudou toda a família a enfrentar as outras adversidades além do dinheiro curto. “Nós íamos para as sessões de quimioterapia do Johnny e fazíamos brainstorming”, lembra. “Levávamos livros, cadernos e post-its: foi dessas conversas que o Mundo-e nasceu, com a proposta de oferecer 100% do conteúdo em vários formatos”, diz. “Era o nosso sonho de transformar o mundo pela educação, oferecendo prazer em aprender. Para nós, um dos grandes problemas da educação tradicional está na forma: tudo igual para pessoas diferentes”, afirma. “Usamos o nosso sonho de futuro para superar a dificuldade”.


Em vez de se deixar abater, dificuldades como essas têm um significado especial para Carla. “A dor me impulsiona”, diz. “Me leva a pensar sobre aquilo que eu ainda não fiz para mudar o que está ruim”.


Essa é a essência do protagonismo que ela leva para a vida pessoal e para o trabalho.É trazer a responsabilidade para si mesmo”, diz Carla. “A gente sempre precisa pensar no que ainda não fez, no que ainda não disse e no que ainda não pensou para evoluir”.


Carla pratica em sua vida o que ensina para as pessoas. Nossa empreendedora vê o futuro com otimismo e atualmente prepara outro livro em formato de história com conceitos de mudança e transformação como pano de fundo. Mantém a atitude de reagir rápido diante dos desafios. Com a postura de alguém que faz a sua parte em vez de ficar esperando as coisas acontecerem.


Uma jornada que se fortalece pela inspiração que ela tem em outras mulheres fortes. É o caso das suas filhas, que muito a inspiram para deixar um país melhor ao invés de ficar parada apenas esperando que as coisas mudem. E de empreendedores como Anita Roddick (1947-2007), empresária britânica e ativista dos direitos humanos que fundou a marca de cosméticos The Body Shop. “Anita construiu uma empresa que fazia mais que um negócio de cremes e sabonetes“, afirma. “A The Body Shop foi considerada uma das marcas mais importantes do globo, Anita sempre quis fazer do mundo um lugar melhor”, conta. “Em uma de suas ações, estampou os caminhões da empresa com os rostos de pessoas desaparecidas, para ajudar nas buscas, era uma mulher preocupada em trazer impactos positivos para os outros”.


Em sua jornada, Carla se tornou dona da própria história. Como é que esta menina vinda do interior, em uma época sem acesso à informação, com perspectivas extremamente limitadas, morando de favor, se tornou executiva, empresária, escritora, casou-se com o amor da sua vida, vive em harmonia e feliz com sua família e é bem-sucedida em todas as áreas? Afinal, ela nasceu em família humilde e, quando mudou-se para São Paulo, não tinha apoio nem dinheiro, enfrentou muitas adversidades, chegando a enfrentar a geladeira vazia para economizar o dinheiro do ônibus.


Hoje, ela se empenha para compartilhar com o maior número possível de pessoas a sua fórmula de sucesso. Acima de tudo, ela não se cansa de aprender, desafiar o status quo e acompanhar o futuro para apoiar quem quiser a pensar e agir como dono. E por isso hoje é capaz de ensinar, nas empresas e na sociedade, como sair da posição de vítima, de expectador, para ocupar o centro da própria existência. Ao lado dela, a vida nunca mais será a mesma. E a transformação virá em caráter definitivo para quem quiser, de verdade, mudar para melhor. Para muito melhor. Carla Weisz desperta a consciência de que cada indivíduo é criador de sua história e responsável por seu próprio sucesso e felicidade. Prepare-se para assumir o comando da sua trajetória. “O nosso negócio, afinal, é despertar transformações”, conta Carla.


“Meu sonho é transformar expectadores em autores de uma história feliz e com significado”, diz. “Trabalho para que as organizações se tornem lugares mais humanos e inspiradores, para que os líderes ampliem a consciência para fazer um hoje melhor, tornando o mundo ao seu redor um lugar mais alegre”, afirma. “Um ganha-ganha que vai fazer do Brasil um país melhor para todos”.

161 visualizações