Briefing: Saindo do Improviso



John J. Beckley sempre dizia que a maioria das pessoas não planeja fracassar, mas fracassam por não planejar. E, acredite, encontro muitos exemplos de empresas que acabam se atolando no operacional e planejam muito pouco.


O fato é que muitos donos de negócios acreditam que a solução dos problemas está em “botar a mão na massa”, mas entendem isso como abraçar tudo, e acabam se tornando funcionários da sua própria empresa.


Eu sei, vocês leem muito nesse blog sobre a importância de estar no estratégico, mas é realmente fundamental que os donos de negócios entendam que, muitas vezes, o “botar a mão na massa” significa mergulhar nas questões que atrapalham o crescimento do seu negócio, visando reestruturar seu próprio jeito de pensar e fazer negócios, e não só em fazer mais e mais aquilo que já não está dando tão certo.


Mas o artigo de hoje não quer falar tão somente de estar no estratégico, mas de uma ferramenta poderosa para fazer o estratégico se unir ao operacional: o briefing.


Todo planejamento precisa de clareza para que todos os envolvidos no processo tenham um norte nas etapas de execução. Sem ela, é comum vermos muitas iniciativas afundarem rapidamente sem nem ao menos conseguirem alçar voo.


O termo briefing é oriundo da língua inglesa e significa instrução. Sua aplicação de forma empresarial, muito utilizado em áreas como Administração, Design, Marketing, Publicidade e Propaganda e outros, busca, através de documentos organizados, encontrar um direcionamento do que será preciso para executar determinada tarefa/atividade/demanda/projeto.


Em outras palavras, trata-se de um documento que contém informações relevantes para a execução de uma tarefa, dando um direcionamento de quais aspectos devem ser observados para que essa tarefa seja realizada de forma eficiente e alcance os objetivos desejados.


Pode parecer desimportante, mas nesse documento você será capaz de atravessar aquela areia movediça que impede o planejamento de se tornar ação. Aliás, uma das grandes dificuldades das pequenas e médias empresas é justamente essa, transformar boas ideias em ações concretas, e é exatamente isso que o briefing pode te proporcionar, quando bem executado.


Os principais benefícios da utilização de um briefing estão no aumento de assertividade e eficiência. Isso acontece porque a informação é sistematizada. Ou seja, tudo aquilo que era apenas ideia e cogitação se torna um projeto organizado de forma metódica.


Com isso, as informações dispersas se agrupam, centralizando o conteúdo e abrindo espaço para novas propostas e soluções para que aquela inovação seja realizável.


De forma geral, pode-se dizer que o briefing corporativo, quando bem elaborado e debatido, é capaz de direcionar, com planejamento prévio, o trabalho que será executado. Com isso, torna-se muito mais fácil focar nos objetivos apresentados.


1 - Centralização e organização de informações: ambientes corporativos são, em sua essência, locais repletos de ruídos e informações desencontradas. Lidar com diferentes lideranças e setores exige organização, e o briefing busca fugir dessa dispersão de fatos, servindo como referência para análise e posicionamento dos diferentes setores da empresa.


2 - Menos etapas de execução: a quebra de expectativa é comum em qualquer começo de trabalho, o que normalmente exige um retoques e aprimoramentos. Porém, quando os critérios de um trabalho se perdem pelo caminho e há uma orientação incorreta, isso induz ao erro e refeitura de um projeto, o que significa que falta eficiência ao projeto.


Um briefing completo, que consegue reunir as informações relevantes sobre todas as etapas de um trabalho, faz com que esse retrabalho se reduza, resultando em maior assertividade na execução de cada processo até o produto/serviço final.


3 - Organização e planejamento de etapas: como dito acima, o briefing consegue estipular diretrizes ao trabalho, definindo etapas importantes para que o objetivo final seja alcançado.


Em outras palavras, o briefing permite que a empresa consiga planejar suas ações, potencializando resultados e desperdiçando o mínimo de recursos possíveis. Isso se dá através da delegação de funções e da definição de metas de trabalho, itens intrínsecos ao briefing.


4 - Mais engajamento: coesão e organização são itens fundamentais para qualquer empresa que lida com diferentes setores que buscam os mesmos resultados. O briefing, portanto, também funciona como uma ferramenta que auxilia no funcionamento coeso e harmônico das engrenagens, fazendo com que duas pessoas que não executem as mesmas funções saibam qual o papel de cada uma no processo. Acredite, isso é fundamental!


Adicione uma pitada de entusiasmo e muita organização e você será capaz de construir seu próprio planejamento para estruturar e destrinchar as etapas necessárias para que sua ideia se transforme em ação.


Se quer saber mais sobre planejamento e como potencializar suas etapas de execução, nos acompanhe nas redes sociais, no Instagram @carla_weisz e também no YouTube. Lá, conversamos muito sobre maneiras de qualificar a atuação dos donos de negócios.

131 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo